CA Techonologies se reiventa e quer crescer em novos mercados

CA Techonologies se reiventa e quer crescer em novos mercados

Com uma receita tradicionalmente concentrada em grandes clientes, a CA Technologies passa por uma fase de “reivenção”. Essa nova fase contempla desde um portfolio de soluções mais aberto e condizente com o processo de transformação digital dos clientes até uma determinação de conquistar espaço no segmento de pequenas e médias empresas (PMEs) que, até agora, esteve fora do seu radar.

“É, sem dúvida, um novo momento para a companhia”, comentou Laércio Albuquerque, presidente da empresa para a América Latina. O seu principal desafio este ano, por exemplo, é expandir os negócios da organização na região com foco no ingresso do mundo empresarial da “Economia dos Aplicativos”, que coloca as apps no eixo central do relacionamento com os clientes.

O portfolio de produtos de automação de processos baseados em DevOps — metodologia que auxilia na integração das equipes e processos de desenvolvimentos e operações para buscar mais eficiência e rapidez — tem sido, inclusive, um cartão de visitas para que a gigante do mercado de software chegue a novos mercados. “Temos produtos hoje que são soluções de fácil instalação e manuseio que passam por mais de 100 empresas que não eram nossos clientes”, disse o executivo.

Essa “reivenção” chega, inclusive, à estrutura da empresa, que ganha novos formatos. “Nós não tínhamos, por exemplo, área de insight sales e agora estamos investindo nisso”, ressaltou Albuquerque. A própria rede de canais da companhia, voltada tradicionalmente para o mundo corporativo das grandes empresas, poderá passar por uma renovação.

A busca por novos mercados traz ainda mais desafios para a empresa, comentou o executivo. “Nós temos grandes clientes que exigem e continuarão exigindo dedicação exclusiva. Estamos vendo grandes oportunidades em vendas para o governo mas esse é um processo bem diferente do que estamos acostumados. E vamos buscar as PMEs, que é um outro formato”, afirmou. Para ele, não há dúvidas de que o crescimento da empresa estará nos novos mercados.

Boa parte do processo que levou a pioneira em soluções para mainframe a se dedicar com afinco ao mundo das apps está ligada ao CEO global, Mike Gregoire, que assumiu no final de 2012 chamando a atenção para o mundo digital, Internet das Coisas e domínio da mobilidade. O portfolio da empresa está dividido em três grandes áreas: gerenciamento em nuvem, DevOps e segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.