Aumenta demanda por tecnologias inteligentes de automação das cidades

Aumenta demanda por tecnologias inteligentes de automação das cidades

O crescimento demográfico e o congestionamento nas cidades vêm impulsionando a demanda por tecnologias inteligentes de gestão de transporte entre os consumidores de algumas das economias emergentes – Brasil, China, Índia – de acordo com um relatório elaborado pela Future Foundation a pedido da MasterCard.

O congestionamento e a poluição gerada pelo uso de automóveis particulares tornaram-se insustentáveis em diversos mercados emergentes. Ter acesso a informações de trânsito em tempo real é fundamental para a adoção do transporte público em detrimento dos modelos privados. O relatório ‘Connecting Cities: Mobility Unlocking Potential in Emerging Markets’ [Conectando cidades: o potencial libertador da mobilidade urbana nos mercados emergentes, em inglês] descobriu que governos já reconhecem a importância das informações em tempo real para fornecer serviços de mobilidade urbana de melhor qualidade, ao passo que metade da população que vive nas cidades compartilharia seus dados pessoais para ajudar a aprimorar o sistema de transporte onde moram.

Entre outros aspectos, o relatório descobriu que:

– Mais da metade da população urbana entrevistada compartilharia seus dados pessoais para melhorar o sistema de transporte da cidade em que moram, sendo os chineses (59%) e os indianos (53%) os mais dispostos. No caso dos brasileiros, esse percentual é de 49%

– 19% da população urbana no Brasil não está disposta a compartilhar suas informações pessoais sob qualquer hipótese; número superior ao dos 8% dos chineses e dos 13% dos indianos.

– Demanda por serviço que monitore trajetos de deslocamento e sugira alternativas mais adequadas é mais forte na Índia (90%), com Brasil (85%) e China (77%) ocupando posição bem próxima.

– O uso de aplicativos para se deslocar nas cidades cresce rapidamente; 37% dos entrevistados indianos e 34% dos chineses já usam esses aplicativos em seus telefones celulares ao menos uma vez por mês. No Brasil esse número ainda é baixo, apenas 18%.

– Houve uma mudança radical de comportamento em todos os mercados pesquisados; 65% dos entrevistados na China afirmam caminhar mais, usar mais bicicleta e transporte público. Já 59% na Índia e no Brasil dizem o mesmo.

– Houve forte interesse por carros sem motorista na Índia (82%), China (77%) e Brasil (73%), além de carros capazes de recalcular rotas para desviar de congestionamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.