As cinco startups que terão seus aplicativos na plataforma IoE do Porto Maravilha

As cinco startups que terão seus aplicativos na plataforma IoE do Porto Maravilha

As startups Áudio Alerta, Livrit, Nearbee, Net Sensors e Viibus são as vencedoras do Desafio Cisco de Inovação Urbana Porto Maravilha. Elas foram selecionadas entre 15 finalistas e participarão de um programa de aceleração profissional apoiado pelo Centro de Inovação IoE (Internet de Todas as Coisas) da Cisco, no Rio de Janeiro. O objetivo é que os cinco aplicativos sejam implementados no Porto Maravilha antes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

As soluções vencedoras estão focadas na inovação urbana e buscam melhorar a qualidade de vida dos cidadãos e visitantes do Rio de Janeiro, assim como otimizar a gestão urbana e implementar novos serviços inteligentes na região. São elas: microfone inteligente que detecta automaticamente sons incomuns e envia alertas, criado pela Áudio Alerta; plataforma de mapeamento colaborativo de estabelecimentos e navegação para pessoas com deficiência física, desenvolvida pela Livrit; plataforma de segurança colaborativa, da Nearbee; solução física e inteligente, integradas e customizadas com uso de IoT para retenção e gestão de resíduos sólidos em bueiros, da Net Sensors; e um ponto de ônibus inteligente para pessoas com deficiência visual, da Viibus.

Os projetos ganhadores passarão por um programa profissional de aceleração de cinco meses que incluirá o apoio e a mentoria de diversos parceiros da Cisco como Universidade Estácio, Sebrae Rio de Janeiro, Liga Ventures e a aceleradora Plug And Play, do Vale do Silício. Durante o período de aceleração será realizado um diagnóstico preciso do modelo de negócio  e da proposta de valor das soluções ganhadoras, com o apoio de especialistas em várias áreas, como marketing, desenvolvimento de produto e formação de equipe. As startups também contarão com a assessoria técnica do Centro de Inovação sobre a plataforma IoE que a Cisco está implementando no Porto Maravilha, como parte de seu legado para a cidade do Rio de Janeiro.

Lançado em agosto deste ano, o desafio abriu a oportunidade para que empreendedores, desenvolvedores, startups e universidades de todo o Brasil apresentassem projetos e aplicativos elaborados com base na plataforma de Internet de Todas as Coisas (IoE).

No total, o Desafio recebeu 104 propostas de projetos. Os critérios de avaliação levaram em consideração aspectos como inovação, impacto socioeconômico, viabilidade para implementação, multidisciplinaridade da equipe, eficiência do modelo de negócios proposto e sinergia com a tecnologia Cisco. Foram três fases para chegar à seleção final. Na última fase, 15 grupos finalistas aperfeiçoaram, durante o fim de semana,  as soluções submetidas e  apresentaram seus projetos para uma banca examinadora, composta por executivos e especialistas da Cisco e de empresas parceiras.

“O objetivo do Desafio foi incentivar o ecossistema de inovação e o desenvolvimento de aplicações de software digital em cima da plataforma tecnológica de Internet de Todas as Coisas que a Cisco está implementando no Porto Maravilha. O que os finalistas do Desafio Cisco nos mostraram nos últimos três dias foram propostas que procuram formas diferentes, criativas e inovadoras de resolver problemas do cotidiano de cidades grandes, como a mobilidade, a gestão de serviços públicos, a melhoria dos transportes públicos e das telecomunicações”, afirmou Nina Lualdi, Diretora Sênior de Inovação para América Latina da Cisco.

O Desafio faz parte da iniciativa da Cisco de Inovação Urbana no Porto Maravilha, um dos projetos da empresa para contribuir para a construção de um legado duradouro para a transformação da cidade do Rio de Janeiro. Através de iniciativas dos setores público e privado, o Porto Maravilha será um modelo de bairro inteligente, com zonas residencial e comercial, rede de transporte público e infraestrutura de telecomunicações eficientes.

Entre os parceiros da Cisco para o Desafio estão a Secretaria Especial de  Concessões e Parcerias Público-Privadas do Rio de Janeiro, a Cdurp – Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto Maravilha, o Distrito Criativo do Porto Maravilha, o fundo de venture capital Redpoint e.ventures, a Universidade Estácio de Sá e a EMC.

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.