Vazamentos de dados têm grande impacto na fidelidade do cliente

Vazamentos de dados têm grande impacto na fidelidade do cliente

A pesquisa global realizada pela Gemalto, denominada “Confiança quebrada: Esta é uma época para ser cauteloso”, mostrou que quase dois terços (64%) dos consumidores entrevistados provavelmente não comprariam, ou fariam negócios novamente, com uma empresa na qual vivenciaram uma violação onde informações financeiras foram roubadas, e quase metade (49%) tinha a mesma opinião, quando se tratava de violações de dados onde informações pessoais foram roubadas. Seis em cada dez pesquisados (59%) acreditam que as ameaças à segurança de suas informações pessoais aumentam durante a época das festas e dois em cada dez (18%) acreditam que são suscetíveis a serem vítimas de violação durante esse período.

Apenas um quarto (25%) dos entrevistados sente que as empresas levam muito a sério a proteção e a segurança dos dados do cliente. O número de entrevistados que responsabilizam a empresa por proteger os dados do cliente (69%) é duas vezes maior em relação àqueles que acreditam que seja responsabilidade do cliente (31%). Entre os empregados entrevistados, apenas cerca de dois quintos (38%) sentem que seu empregador leva a proteção e a segurança de dados do funcionário muito a sério.

A pesquisa revelou que 31% dos entrevistados já foram afetados pela violação de dados no passado. Cerca de quatro em cada dez declaram que as causas mais prováveis para ser uma vítima de violação são visitar um site fraudulento (42%), ataques de phishing (40%) ou clicar em um link fraudulento (37%). O impacto emocional das violações de dados também gerou sentimentos apreensivos em relação às empresas, quase um quinto dos entrevistados (19%) sente que é suscetível a ser vítima de uma violação, no período de doze meses a três anos.

90% dos consumidores entrevistados sentem que existem aplicativos e sites que apresentam riscos significativos para a proteção e a segurança de suas informações pessoais. 55% acreditam que sites de mídias sociais os expõem a riscos maiores, e cerca de dois em cada cinco entrevistados acreditam que o conteúdo adulto e aplicativos/sites de Torrent apresentam maiores riscos de segurança para as informações pessoais.

Cerca de um quarto (23%) dos entrevistados vítimas de violação de dados tomou ou consideraria tomar medidas legais contra a empresa violada envolvida na exposição de suas informações pessoais. Quase metade (49%) dos entrevistados disse que tomaria ou consideraria tomar medidas legais contra qualquer das partes envolvidas em expor suas informações pessoais.

No entanto, o consumidor não está completamente isento de responsabilidade, diz o levantamento. Apesar dos muitos riscos envolvidos, a pesquisa também descobriu que a maioria (54%) dos entrevistados está usando a mesma senha para todas ou algumas das suas contas online. Entre os entrevistados que usam contas de mídias sociais ativamente, apenas um quarto (25%) usa a autenticação de dois fatores para proteger todas as suas contas de mídias sociais. Entre os entrevistados que usam serviços bancários online/móveis ativamente, cerca de três quintos (58%) dizem que seus bancos usam autenticação de dois fatores para proteger sua conta bancária na internet. Isso, no entanto, não é tão difundido entre os varejistas. Entre os entrevistados que usam contas de varejo online ativamente, um quarto (25%) declara que todos os aplicativos/sites de varejo online que usam exigem autenticação de dois fatores para proteger transações online.

A pesquisa entrevistou 5.750 consumidores na Austrália, Brasil, França, Alemanha, Japão, Reino Unido e Estados Unidos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.