Minority Report: a tecnologia promete identificar crimes antes que eles ocorram

Minority Report: a tecnologia promete identificar crimes antes que eles ocorram

A lembrança de Minority Report, filme de ficção científica de 2002 que foi dirigido por Steven Spielperg, é inevitável. Assim como no cinema, a Hitachi promete um sistema de análise preditiva que pode antecipar crimes antes que eles aconteçam. Só que ao contrário do thriller estrelado por Tom Cruise, a solução não se basearia na visualização do futuro antecipada por paranormais, os chamados precogs. Pelo contrário, teria como fundamento um pesado esquema de análise de dados de fontes variadas, assim como de estatísticas, para apontar onde e quando um crime poderá acontecer. A busca desse tipo de tecnologia para prevenir crimes começa a ganhar novos adeptos.
Em Memphis, nos Estados Unidos, a Polícia utiliza um software preditivo da IBM. No Canadá, foi inaugurado o primeiro laboratório do país que vai desenvolver soluções desse tipo.

Batizado de Hitachi Visualization Predictive Analytics Crime (PCA), o sistema da fabricante japonesa foi desenvolvido pelos pesquisadores Darrin Lipscomb e Mark Jules, co-fundadores das empresas de tecnologia de monitoramento de crime Avrio e Pantascene, adquiridas pela companhia. Os dois utilizaram os recursos de machine learning para não dependerem de variáveis e fatores preconcebidos. Isso proporcionou à plataforma a capacidade de derivar padrões a partir de uma quantidade infinita de fontes, chamando a atenção para tipos de comportamento que podem não ser percepidos pela análise pessoal.

A tecnologia desenvolvida pela Hitachi utiliza uma variedade de fontes de dados que possam ter um impacto sobre a criminalidade, o que pode envolver desde condições climáticas, dados de geolocalização, sensores, movimentação das pessoas, até redes sociais e estatísticas de crimes anteriores. A tecnologia da Hitachi exclui toda a intervenção humana para fazer uma análise de dados brutos, sem qualquer interpretação ou palpite de pessoas.

O PCA exibe os resultados como mapas com códigos de cores da cidade, indicando a intensidade de vários indicadores de criminalidade em cada zona geográfica. O sistema pode identificar uma localização, até um quadrado de 200 metros, e atribuir um nível de ameaça criminal. O sistema começou a ser testado em algumas cidades dos Estados Unidos no final do ano passado.

No Canadá, foi inaugurado na cidade de Saskatoon o Predictive Analytics Laboratory, um programa pioneiro que tem como proposta ajudar a polícia a combater os crimes preventivamente. O laboratório é uma joint venture entre o governo da província de Saskatchewan, Universidade de Saskatchewan e a Polícia de Saskatoon. Um dos primeiros trabalhos foi o de identificar possíveis perfis de jovens com risco de fugirem de casa assim como monitorar infratores violentos e reicindentes que possam cometer novos crimes e quais as atividades e regiões de risco para isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.