O que acontece após a implantação na nuvem?

O que acontece após a implantação na nuvem?

Por Eduardo Almeida, presidente da Extreme Networks para o Brasil e o Cone Sul.

 

Temos ouvido falar de nuvem já há algum tempo e vemos agora uma rápida implantação dessa tecnologia na área empresarial devido às suas vantagens, como o aumento da capacidade de armazenamento de dados e da segurança a partir de qualquer local que também seja fácil de gerir. Não é nenhuma surpresa que os índices de adoção de sistemas baseados em nuvem tenham disparado e se tornado uma expectativa nas empresas. No entanto, além da implantação inicial da infraestrutura de nuvem e das suas capacidades estabelecidas, qual será o valor que isso proporcionará no longo prazo, tanto para a empresa como para o consumidor? Como as empresas poderão maximizar a sua solução na nuvem para oferecer uma experiência ideal de cliente, coletar dados valiosos para a tomada de decisões e, finalmente, somar tudo isso ao resultado financeiro?

Em primeiro lugar, a empresa precisa determinar e definir como a nuvem poderá oferecer valor agregado à sua base de clientes. As empresas são cada vez mais pressionadas para atender à rápida evolução das necessidades dos clientes e, para isso, os departamentos de TI precisam de um ambiente que lhes permita desenvolver aplicativos, testar produtos e partir para a produção muito mais rápido. Nesse cenário, as empresas estão levando para a nuvem o desenvolvimento de aplicativos e o atendimento ao cliente, garantindo uma plataforma de engajamento mais rápida e mais segura.

Maximizar o Impacto

A transferência de aplicativos para a nuvem é apenas o início da implantação. As organizações também necessitam implantar a infraestrutura adequada de acesso e de conectividade em seus respectivos escritórios, lojas, restaurantes, entre outros, para oferecer aos seus clientes o acesso a esses aplicativos. A satisfação do cliente é uma prioridade no atual cenário de negócios, por isso é essencial que os switches Ethernet de acesso sejam suficientemente rápidos e inteligentes para manterem uma excelente experiência de usuário. Isso significa priorizar o tráfego corporativo em relação ao tráfego não-missão crítica que consome largura de banda e transferir a inteligência de rede para a borda. Um dispositivo de acesso inteligente não só prioriza o tráfego corporativo, mas também suporta uma estratégia que se alinha com os modelos financeiros baseados em assinatura, que são mais frequentemente associados com a nuvem.

Aproveitar as Análises

Uma vez que os clientes estejam conectados e acessem os aplicativos, as empresas podem lançar mão de analytics para agregar e medir a experiência do cliente, verificando se a solução na nuvem está realmente entregando resultados excelentes. O analytics também contribui para que a empresa se torne uma entidade mais ágil na geração de receitas, permitindo a monetização da infraestrutura de rede.

O analytics também permite que os departamentos de TI monitorem as atividades e o software que estejam sendo usados na rede para determinar se a empresa deve investir mais naquele momento ou recuar. Essas decisões baseadas em dados ajudam a eliminar a TI obscura, que ainda prevalece em muitas organizações e gera despesas comerciais e de segurança. Se uma empresa está pagando por uma licença que as pessoas não estejam utilizando, o CIO e o departamento de TI poderão se utilizar da análise de dados para compreender o que está realmente ocorrendo na rede. A partir dali, poderão melhor avaliar o software adotado dos pontos de vista de receita e de segurança.

Integração Vertical

Além dos casos na área corporativa, vale a pena notar que analytics e monetização são temas também relevantes para diversas verticais. No setor de educação, por exemplo, os especialistas de TI poderão observar como os alunos interagem com os aplicativos em uma rede para compreender se eles estão sendo ajudados ou potencialmente prejudicados. Em grandes arenas esportivas, analytics marca as áreas mais lotadas para alocar redes sem fio e oferecer suporte aos torcedores. Os familiares e pacientes em hospitais poderão interagir e se conectar com perfeição em situações de emergência. A qualidade da experiência é uma medida relevante para todos os setores, seja em uma sala de espera, aula ou reuniões.

O que virá a seguir?

À medida que mais empresas implantem soluções na nuvem, as suas estratégias de pós-implantação se tornarão o fator determinante para o sucesso ao passo que ofereçam aos clientes uma experiência perfeita. Tudo começa com o analytics, que oferece às empresas uma visibilidade precisa dos dados coletados que poderiam aumentar as vendas e melhorar a experiência do cliente. A partir daí, é responsabilidade da organização aproveitar a sua solução como um recurso para monetização. Seguindo esses passos, as empresas estarão bem posicionadas para ter sucesso após a implantação de sua solução de nuvem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.