Prodam lança consulta para contratação de nuvem pública

Prodam lança consulta para contratação de nuvem pública

A Prodam, empresa de TICs da cidade de São Paulo, lançou hoje (3), um aviso de consulta técnica para a contratação de provedor de nuvem pública. Ele terá que oferecer serviços nas modalidades de SaaS (Software como Serviço), PaaS (Plataforma como Serviço) e IaaS (Infraestrutura como Serviço) e interligar a nuvem pública à nuvem privada que a Prodam está colocando em produção este mês.

Pelo aviso, os interessados têm até o dia 10 de junho para apresentar suas contribuições e comentários. Segundo Marcelo Pimenta, diretor de Infraestrutura e Tecnologia da Prodam, está prevista a realização de uma audiência pública. “Queremos promover um grande debate, pois ainda não existem parâmetros bem definidos de contratação de nuvem pública”. Segundo ele, as maiores preocupações envolvem a segurança da informação, a confiabilidade, a forma de provisionamento e de pagamento por uso.

A Prodam iniciou os estudos para a implantação de nuvem em 2014 e acabou optando pela nuvem híbrida, modelo em que a nuvem privada e a nuvem pública se interligam por meio de tecnologias padronizadas ou mesmo proprietárias. A nuvem privada da Prodam foi construída utilizando a tecnologia VMWare, pois todo o seu parque foi virtualizado em cima dessa tecnologia, e a tecnologia Azure da Microsoft.

Início da operação
A nuvem privada entra em produção neste mês de junho. “Não vamos transferir todos os sistemas da Prodam para a nuvem pois não faria sentido e seria muito trabalhoso. Vamos transferir aqueles que têm característica de nuvem ou por ter uma demanda sazonal ou por apresentar uma demanda desconhecida”, explica Pimenta.

Em casos de demandas localizadas no tempo ou ainda não dimensionadas, o armazenamento em nuvem é recomendado pois os recursos podem ser alocados dinamicamente de acordo com as necessidades, sem ser preciso imobilizar os recursos que acabam ficando ociosos.

Como exemplo de demanda não conhecida, Pimenta cita a vitrine de APIs que acabou de ser lançada pela Prefeitura. “Queremos estimular o uso das APIs pela população para produzir novos aplicativos para a cidade, mas ainda não sabemos qual vai ser a reação dos desenvolvedores, qual vai ser a intensidade de uso”, diz o diretor de Infraestrutura e Tecnologia da Prodam.

Para Pimenta, os ganhos principais da adoção da nuvem híbrida está na agilidade do desenvolvimento, que resulta em mais produtividade, e na redução dos custos, pois o modelo elimina a capacidade ociosa. “Você pode alocar e desalocar a capacidade dinamicamente”, lembra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.