O cinema sob demanda chega ao Brasil

O cinema sob demanda chega ao Brasil

Uma plataforma que pretende colocar nas mãos do público a decisão sobre que filme ver no cinema. Essa é a proposta do Kinorama, uma startup direcionada à criação e financiamento coletivo de sessões de cinema em circuito comercial. A intenção é favorecer realizadores que não possuem verba de comercialização, espectadores que não têm autonomia sobre o conteúdo oferecido, e exibidores que desejam aumentar a taxa de ocupação das salas.

A startup oferece a possibilidade de sessões pré agendadas e uso do crowdfunding para viabilizar os eventos. A ideia é mobilizar o público pela internet para o financiamento das sessões.

As metas principais são o incentivo a novas janelas de distribuição e a ampliação das chances de um filme alcançar o público. No catálogo do Kinorama já há diversas produções nacionais que encontraram na distribuição o grande entrave para chegar aos espectadores. Mas a intenção é ampliar as opções e levar ao público também filmes de outros países.

A iniciativa defende o cinema como experiência coletiva e compartilhada e insere no circuito de distribuição a possibilidade do “on demand”. Com isso, filmes independentes têm mais chances de driblar os gargalos da distribuição e entrar nas salas de cinema de forma efetiva. A plataforma contribui ainda para a formação de público e a democratização do acesso aos filmes.

Apesar de terem idealizado a iniciativa do zero, os realizadores do Kinorama descobriram, durante o processo de pesquisa para a plataforma, que há projetos semelhantes acontecendo em diversos países. Em inglês usa-se o termo Crowdticketing (que pode ser traduzido como “financiamento coletivo de ingressos). A dinâmica é a base de eventos como o Gathr e o Tugg nos Estados Unidos, o Screenly e o Youfeelm na Espanha e o Movieday na Itália.

O documentário Epidemia de Cores está previsto para ser exibido no dia 22 de setembro, a partir das 19h no Espaço Itaú- Augusta, em São Paulo. Até o fim do ano Salvador, Brasília, Curitiba e Rio de Janeiro também vão receber sessões nos cinemas do Itaú. Para que a sessão aconteça é preciso alcançar 60% de venda dos ingressos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.