O rápido crescimento da Internet móvel na América Latina

O rápido crescimento da Internet móvel na América Latina

O número de pessoas que utiliza seus dispositivos móveis para acessar a internet na América Latina crescerá cerca de 50 % até o final desta década, revela um novo estudo da GSMA. A previsão é que até 2020 a região tenha uma adição de 150 milhões de novos assinantes de internet móvel, alcançando assim um total de 450 milhões.

Esse aumento estimulará o crescimento econômico, a inovação e a inclusão digital. O novo relatório “A Economia Móvel: América Latina 2016” foi apresentado durante a conferência “GSMA Mobile 360 – Latin America”, que se realiza nesta semana na Cidade do México.

 

“O rápido crescimento do número de assinantes de internet móvel experimentado pela América Latina nos últimos anos contribuiu para o desenvolvimento de uma ‘economia de aplicativos’ para os setores de conteúdo e comércio móvel, uma vez que tem incentivado um ambiente próspero para as startups”, observou Mats Granryd, diretor geral da GSMA. “Isso se deve, em grande parte, ao fato de as operadoras móveis locais terem estimulado com sucesso a migração dos assinantes para os smartphones e para as redes de banda larga móvel, apesar de enfrentarem, simultaneamente, pressões concorrenciais e regulatórias cada vez mais fortes em vários mercados da região”.

A América Latina experimentará um forte crescimento de usuários até o final da presente década, à medida em que mercados grandes como Brasil, Colômbia, México e Peru agreguem milhões de novos assinantes à sua base de usuários. A previsão é que o total de assinantes móveis únicos na região subirá de 414 milhões no final de 2015 para 524 milhões em 2020. Esse crescimento converterá a América Latina na segunda região de mais rápido crescimento global no período, superada apenas pela África Subsaariana.

Prevê-se que a penetração de assinantes móveis aumentará de 65 por cento da população regional em 2015 para 78 por cento em 2020. No entanto, os níveis de penetração variam bastante na região, onde países como Cuba apresenta hoje uma penetração muito baixa  (28 por cento) e outros, como Argentina, Chile e Uruguai, alcançam uma penetração superior a 90 por cento.

A adoção de smartphones na América Latina aumentou acentuadamente nos últimos anos:  no final de 2015 representava metade das ligações regionais . Espera-se que a região adicione 262 milhões de conexões de smartphones na região até o final da década. A adoção contínua é estimulada pela queda dos preços de smartphones e por uma crescente variedade de terminais de médio e longo alcance. Os smartphones também estão impulsionando a migração para redes de banda larga móvel 3G/4G. Os contínuos investimentos em redes 4G pelas operadoras tornaram a cobertura 4G disponível para 60 por cento da população latinoamericana atualmente, e espera-se que chegue a 80 por cento no próximo ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.