ONU: como governos e empresas podem criar economias digitais

ONU: como governos e empresas podem criar economias digitais

Um novo relatório da Better Than Cash Alliance baseada nas Nações Unidas revela dez passos tangíveis que podem fazer com que governos e empresas abandonem a economia dominada pelo dinheiro e abracem a digitalização de pagamentos. O levantamento foi feito em 25 países, entre os quais a Índia, Nigéria, Tanzânia, Gana, Brasil e México. Foram revelados dez ‘aceleradores’ ou ações que provaram causar regularmente um grande impacto no avanço da criação de economias onde pagamentos digitais estão amplamente disponíveis.

O relatório também destaca a importância cada vez maior da transição aos pagamentos digitais. Os dados compilados no relatório fornecem a evidência dos benefícios proporcionados pelos pagamentos digitais, como a economia de US$2 bilhões anuais na Ìndia ao digitalizar subsídios de combustíveis, reduzindo também as fugas de pagamentos. Na Tanzânia, a digitalização de pagamentos de atividades portuárias para o governo reduziu US$ 175 milhões nas fugas de receita anuais e tem o potencial de estimular o PIB a até US$ 1,8 bilhão.

O Brasil economizou acima de 30% nos custos das transações nos desembolsos do governo para indivíduos, diz o estudo. Como resultado da instalação de 20.000 dispositivos de pontos de vendas, o México obteve uma taxa de crescimento de 17 % nesse tipo de transações entre 2014 e 2015.

Os aceleradores previstos no estudo são:

— Promover a infraestrutura de aceitação dos comerciantes em empresas micro, pequenas e  de médio porte para aprofundar o uso entre consumidores e maiores pagadores.
— Alavancar redes ou plataformas existentes para o fornecimento de produtos e serviços de pagamento digital para ampliar esses serviços mais rapidamente e de maneira a reduzir os custos.
— Estabelecer uma infraestrutura digital compartilhada para participantes para reduzir barreiras e promover a inovação, tanto em instituições públicas como em privadas.
— Estabelecer interoperabilidade para reduzir barreiras que limitem transações digitais a uma única plataforma de pagamentos aumentando a aceitação e a adoção de pagamentos.
— Desenvolver um programa único de identificação acessado por participantes do setor público e privado para a verificação de identidade pode gerar pagamentos digitais e inclusão financeira. As estruturas de proteção ao consumidor são essenciais para garantir privacidade, segurança e controle de dados adequado.
— Digitalizar casos de uso de rotina frequentemente utilizados para transações torna os pagamentos digitais mais familiares e aumenta o volume de transações digitais.
— Digitalizar os pagamentos do governo para promover um ecossistema de pagamentos digitais economizando nos custos das transações e aumentando o acesso de civis a pagamentos.
— Digitalizar os recibos do governo para fazer com que indivíduos e empresas se sintam mais à vontade com os pagamentos digitais, reduzindo finalmente fugas e estimulando receitas. A colaboração com o setor privado é fundamental.
— Estabelecer regulamentos que incentivam inovação e práticas responsáveis, ao se entender as lacunas e barreiras dos regulamentos existentes, e envolvendo todos os interessados.
— Implementar políticas que incentivem e aprimorem a conveniência dos pagamentos digitais para gerar a adoção e o maior acesso a esses pagamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.