Rio 2016 bloqueou 23 milhões de tentativas de ataques cibernéticos

Rio 2016 bloqueou 23 milhões de tentativas de ataques cibernéticos

A Cisco divulgou hoje as estatísticas do tráfego de dados na rede fornecida para os Jogos Olímpicos. Foi registrado um total de 1,4 petabyte de tráfego entre os dias 5 e 21 de agosto e 147.972 dispositivos únicos se conectaram na rede, utilizada pela imprensa credenciada, agências de mídia, emissoras detentoras de direitos, atletas, força de trabalho dos Jogos e Família Olímpica, formada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), comitês olímpicos nacionais e federações esportivas. Um total de 4,2 milhões de eventos de segurança foram registrados e 731.607 tentativas de ataques de negação de serviços (Denial of Service) foram bloqueadas pela infraestrutura de segurança Cisco implementada para os Jogos. Na proteção de todos os sites públicos oficiais e aplicativos móveis da Rio 2016, as soluções Cisco e demais parceiros de segurança da Rio 2016 detectaram 40 milhões de eventos de segurança, bloquearam 23 milhões de tentativas de ataques e mitigaram 223 ataques DDoS.
O tráfego de 1,4 petabyte, equivalente a 53 anos de streaming de vídeo em HD, foi cinco vezes maior que o total trafegado nas redes das operadoras móveis nos locais de competição durante os Jogos (255 TB). Do total de dispositivos únicos autenticados pela plataforma de controle de acesso à rede (Cisco Identity Services Engine), 92% (136.034) se conectaram através dos 3.536 pontos de acesso Wi-Fi fornecidos pela Cisco para os Jogos, com os 8% restantes de dispositivos usando uma conexão cabeada.

Do total de dispositivos conectados na rede Wi-Fi durante os Jogos, 10% pertenciam à Família Olímpica e atletas, 35% eram da mídia credenciada, e 55% da força de trabalho Rio 2016. O tráfego de Internet na rede dos Jogos foi de 492 terabytes e a utilização atingiu um pico de 5,4 Gbps.

 

A rede da Cisco, projetada e implementada para suportar a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, consiste em 8.100 produtos e mais de 60 toneladas de equipamentos. Ela conectou as 37 instalações de competição e mais de 100 instalações de apoio, tais como o Centro Internacional de Transmissão e o Centro Principal de Mídia, a rede suporta a difusão de resultados em tempo real, a cobertura do evento pelos profissionais de mídia, a operação dos Jogos, incluindo a validação de 9 milhões de ingressos e 300.000 credenciais. Durante os Jogos, a mídia e os atletas também podem se conectar à Internet via Wi-Fi nos 273 ônibus que fazem o transporte entre as diversas instalações do evento.

Foram necessárias 34 mil horas de engenharia para o planejamento, projeto e apoio à implementação das redes e data centers da Rio 2016, e 27 engenheiros envolvidos em 54 projetos realizados ao longo de 900 dias. Durante a realização dos Jogos, a Cisco também suporta a operação das redes, 24 horas por dia, 7 dias por semana, através de uma equipe de 65 engenheiros, atuando localmente no Centro de Operações de Tecnologia, totalizando 25.732  horas.

“Nunca uma edição dos Jogos Olímpicos exigiu um volume tão grande de equipamentos de rede e profissionais qualificados para suportar o projeto e as operações, viabilizando assim a entrega dos Jogos mais conectados de todos os tempos e o engajamento global em tempo real através de diferentes plataformas”, afirmou Rodrigo Uchoa, diretor de Novos Negócios e coordenador do Projeto Rio 2016 da Cisco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.