Produtividade ainda é o grande atrativo de IoT

Produtividade ainda é o grande atrativo de IoT

Estudo realizado pela PromonLogicalis sobre  Internet das Coisas mostra que os CIOs acreditam que essa tecnologia é  uma evolução da automação industrial e os benefícios mais relevantes esperados com a sua adoção são produtividade (81%), eficiência operacional (81%) e redução de custos (79%). Outras melhorias buscadas pelas empresas que investem em IoT são suporte à tomada de decisão (75%), inovação (70%), diferencial competitivo (59%) e novas fontes de receita (36%).

O IoT Snapshot revela ainda que embora  haja muita discussão sobre o assunto, existem poucos casos práticos de uso – somente 31% das empresas entrevistadas têm um nível de adoção da tecnologia entre moderado e alto, enquanto 66% chegou, no máximo, a discutir esse tipo de iniciativa.

Apesar da adoção ainda ser baixa, o futuro é promissor. Enquanto 32% dos participantes do estudo enxergam IoT como crucial para seus negócios atualmente, esse cenário deve se inverter nos próximos anos: 62% dos participantes acreditam que IoT será extremamente importante em três a cinco anos.

O estudo avaliou ainda os principais motivos que levam as organizações de cada um dos segmentos pesquisados a adotarem IoT. O setor de utilities, por exemplo, visa a redução de custo (67%), produtividade (50%) e eficiência operacional (42%), enquanto o setor público mira eficiência operacional (50%) e suporte à tomada de decisão (45%). Por sua vez, o segmento financeiro busca inovação (44%), seguida de diferencial competitivo (33%).

Assim como outras tecnologias também disruptivas, os projetos de IoT impactam processos que ultrapassam as fronteiras da área de TI, levando transformações também para as áreas de negócios, além de contribuir, em alguns casos, para mudanças profundas em modelos comerciais e de atendimento aos clientes.

No entanto, sua adoção ainda enfrenta desafios significativos, sendo o distanciamento em relação ao tema e a imaturidade tecnológica os pontos mais críticos neste momento – citados por 64% e 63% dos respondentes, respectivamente.

“O estudo IoT Snapshot deixa claro que, assim como o resto do mundo, o mercado brasileiro está acompanhando atentamente a evolução das tecnologias de Internet das Coisas e acredita fortemente em sua capacidade transformacional nos próximos anos. Apesar de ser ainda um tema em processo de amadurecimento – tanto do ponto de vista das empresas usuárias como dos fornecedores de tecnologia, seu potencial de inovação e criação de novos modelos e oportunidades de negócios é incontestável,” afirmou Yassuki Takano, diretor de consultoria da PromonLogicalis e responsável pelo estudo.

O IoT Snapshot realizado pela empresa também mostrou que não há entre os executivos a percepção de quem seria os fornecedores-referência desse mercado não está clara para 47% e da mesma forma  não há muita certeza quem irá liderar os projetos de implantação da plataforma. As áreas de engenharia e produção estão à frente dos projetos já implantados ou em implantação e a de TI ganha mais destaque nos que estão em discussão. Em terceiro lugar como os setores mais envolvidos está o de negócios, seguido por atendimento a cliente, financeira e outros.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.