Provar o valor de IoT para os negócios ainda é desafio no Brasil

Provar o valor de IoT para os negócios ainda é desafio no Brasil

Provar o valor de IoT (Internet das Coisas)  para os negócios é o principal desafio para as empresas brasileiras. Pelo menos é o que mostra o white paper “Internet das Coisas: um pilar chave no processo de digitalização” patrocinado pela Cisco e Intel e que tem como base um estudo realizado pela Pyramid Research. De acordo com o levantamento, essa necessidade se coloca para 32% dos entrevistados no país, seguida de preocupações relacionadas com segurança (20%), com privacidade (16%), expertise (12%) e integração (8%). A pesquisa mostra ainda que 73% dos entrevistados têm alguma implementação de IoT ou planeja fazê-lo nos próximos 12 meses.

A melhora nas eficiências operacionais e a redução de custos lideram a lista dos benefícios enxergados pelos pesquisados. Esses argumentos para utilizar a tecnologia foram citados por 60% dos entrevistados. Em seguida, está o uso da plataforma para ampliar receitas com produtos já existentes (24%) e 8% enxergam a possibilidade de ampliar o faturamento com novos produtos.

A maior parte dos entrevistados, 46%, acredita que possa obter retorno sobre investimentos em projetos de IoT no prazo de seis a 12 meses enquanto 29% acreditam que ele ocorrerá de um a dois anos

Segundo Severiano Macedo, especialista em IoT na Cisco, a manufatura é a área que concentra o maior número de sensores instalados, mas não necessariamente conectados ainda. Ele também ressalta o potencial para o mercado de utilities e a importância nos projetos de smart cities.

Ana Claudia Pihal, diretora comercial da Cisco, também ressaltou que o varejo está entre os potenciais mercados para IoT. “Há muito interesse desse setor de usar a plataforma para conhecer melhor seus clientes, o comportamento, as tendências e, a partir daí, conseguir ampliar sua receita. Outra área que, na sua avaliação, tem surpreendido é a de agricultura. “Eles têm mostrado interesse em várias soluções”, afirmou. Entretenimento também figura nessa lista, ao lado de turismo.

O Big Data e recursos analíticos ganham papel especial no desenvolvimento da área de IoT. “Elas permitem que as organizações entendam melhor determinados processos e comportamentos que serão chave no desenvolvimento de novas soluções que tenham um impacto positivo e significativo na experiência dos consumidores e nos processos empresariais”, observou Marcelo Kawanami, gerente de pesquisa da Pyramid Research.

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.