Saiba quais são os principais usos de IoT e como ter uma implantação bem-sucedida

Saiba quais são os principais usos de IoT e como ter uma implantação bem-sucedida

Por Eduardo Almeida, presidente da Extreme Networks para o Brasil e o Cone sul

 

Analistas do Gartner estimam que o número de dispositivos conectados à Internet atingirá ou mesmo passará dos 20 bilhões até 2020. O rápido crescimento da Internet das Coisas é o resultado de emergentes tecnologias inteligentes, dispositivos eletrônicos e sensores, que permeiam diversos setores como educação, saúde, governo, hotelaria, e até mesmo fabricação.

Uma pesquisa recente realizada pela Extreme Networks com mais de 300 CIOs, vice-presidentes de tecnologia e engenheiros de arquitetura de diversos setores, revela que 44% dos entrevistados já estão usando ou planejam usar dispositivos e tecnologias da Internet das Coisas como parte de seu plano de negócios. Essas estratégias de IoT poderiam abranger qualquer coisa, de BYOD a lousas interativas. Porém, para garantir o sucesso dessas implantações, as organizações necessitam mudar seu foco para apoiar as diversas tecnologias que estão se inserindo na rede.

Mais da metade dos entrevistados que já adotaram dispositivos inteligentes estão utilizando essa tecnologia para implantações de edifícios inteligentes e/ou automatizados. Entre as outras principais formas de uso estão: vigilância por vídeo, coleta de dados para permitir melhores decisões de negócios, facilidade de uso para o cliente e segurança física de edifícios. Já os 64% dos entrevistados que estão usando a Internet das Coisas para implantações de edifícios inteligentes ou automatizados dizem que a vigilância por vídeo é a tecnologia mais importante, seguida de gestão de energia e segurança do local.

Os 5 usos principais para dispositivos inteligentes IoT:

  • 50% – Implementação de edifícios inteligentes/automatizados
  • 48% – Vídeo vigilância
  • 45% – Coleta de dados para permitir melhores decisões de negócios
  • 40% – Facilidade de uso para clientes e colaboradores
  • 40% – Segurança física do edifício

 

Mesmo que a maioria dos setores estejam à frente da curva da Internet das Coisas com a adoção de dispositivos inteligentes, ainda existem questionamentos. Mais de metade dos entrevistados estão preocupados com a segurança dos dispositivos IoT e citam privacidade e sequestro de dados como os principais riscos. Os entrevistados também mencionaram desafios em termos de gestão, controle e visibilidade dos dispositivos IoT. Tendo em conta dados sensíveis ligados a informações do paciente, privacidade do aluno ou operações de fabricação, este é um ponto de atenção que atinge a todos os setores.

Apesar dos riscos, os entrevistados citam ainda uma clara relação custo x benefício que está impulsionando a Internet das Coisas. A maioria revelou que o aumento de receita e a redução de custos são fatores importantes que orientam sua decisão de implantar edifícios inteligentes. Por esta razão, é fundamental que os fornecedores sejam capazes de garantir a segurança da Internet das Coisas para proporcionar suporte aos seus clientes que adotarem estratégias nessa linha.

Como fazemos isso? A chave para antecipar quaisquer riscos ou desafios é a proatividade no planejamento de rede. Uma infraestrutura adequada e uma conexão Wi-Fi segura e confiável são essenciais para o sucesso da implantação da tecnologia inteligente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.