CryptoRave confirmada para início de maio

CryptoRave confirmada para início de maio

Após superar a meta de arrecadação e alcançar 116% do valor solicitado em plataforma de financiamento coletivo, a CryptoRave está confirmada e chegará a sua quarta edição. Este ano, o evento acontecerá nos dias 5 e 6 de maio em São Paulo. Além do recorde de pessoas que contribuíram no financiamento coletivo (601), a CryptoRave este ano ainda registrou o dobro de inscrições de atividades – todas enviadas pela web – em relação a 2016. Foram mais de 140 atividades inscritas, organizadas ao longo das 24hs de programação.

Entre as pessoas confirmadas para mesas da quarta edição do evento centrado em criptografia, segurança, vigilância digital, privacidade e tecnologias correlatas, está o jornalista norte-americano James Bamford, especialista em agências de vigilância e em ciberguerra. Outra participante internacional é a mexicana Lili Anaz, pesquisadora e ativista em auto-defesa na web e desenvolvedora de tecnologias livres, com perspectiva hackfeminista, no âmbito do Laboratório de Interconectividades.

Também está confirmada a presença da ativista Sasha Costanza-Chock, que leciona Mídia Civil no Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos. Atualmente coordena o DiscoTech, oficinas livres, abertas e multissetoriais para pessoas explorarem, compartilharem e discutirem experiências com vigilância. Nas Discotech as pessoas estudam ferramentas, sistemas e histórias de vigilância e entendem como esses sistemas são direcionados, desproporcionalmente, a pessoas negras, trabalhadoras, imigrantes, ativistas, etc.

Intrigeri, um dos principais desenvolvedores do Tails, sistema operacional seguro que trafega todos os dados pela Rede Tor, utilizado por Edward Snowden para coletar, enviar e revelar ao mundo as práticas de vigilância da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) norte-americana, também marcará presença na edição 2017 da CryptoRave.

Para atender aos mais diversos públicos, este ano haverá um debate sobre jornalismo investigativo e independente e sua importância para a divulgação das ameaças ao direito à privacidade, com a presença da advogada e ativista Joana Varon, fundadora e diretora da Coding Rights, think tank criado por mulheres brasileiras para debater privacidade, e Andrew Fishman, repórter e editor do website de notícias The Intercept, fundado por Glenn Greenwald, jornalista especialista em privacidade que publicou as denúncias de vigilância massiva pela NSA com base nos documentos da agência coletados por Snowden.

Inspirada no movimento das CryptoParties – eventos para a troca de chaves de cripotografia – a CryptoRave surgiu no Brasil como um esforço coletivo para difundir os conceitos, a cultura e as ferramentas relacionadas à privacidade e liberdade na Internet. Chegando a sua quarta edição este ano, a CryptoRave se consolidou como o maior evento aberto e gratuito deste tipo no mundo. O evento conta com mesas redondas, palestras e oficinas para aprofundar e qualificar o debate sobre proteção da privacidade na Internet como um direito e fundamento essencial à democracia. Ao final de 24 horas de atividades, uma grande festa fecha a edição deste ano.

O evento é organizado por Actantes, Encripta Tudo, Escola de Ativismo, Intervozes, Saravá e ativistas e hackers independentes, em defesa do direito à privacidade e do desenvolvimento de tecnologias de auto-defesa cidadã em meio ao cenário de coleta massiva de dados. O custeio ocorre por meio de financiamento coletivo e por doações de entidades, seguindo o código de ética disponível no site da CryptoRave.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha: *
Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.